Sem Razão

Gustavo Valério Ferreira

30/11/2020

Hei-de pedir-te, amor da minha vida
Que não te vás, assim tão de repente…
Meu peito gela e fica descontente
Imaginando a tua despedida…

Posso impedir-te, amor da minha vida
De me partir, assim tão de repente?
Meu peito trava e sua, infelizmente…
Se eu falecer, serás bem-sucedida…

Muito me dói, no entanto, não me escutas…
Levas nas malas, roupas, dor e lutas…
Levas o meu pesado coração…

O sol se põe, e o meu amor se vai
Levando os olhos deste amargo pai
Que sofre e chora sem qualquer razão…