Rota Oposta

Gustavo Valério Ferreira

25/05/2020

Pelos bordéis cruéis da vida louca,
pelas calçadas, de cimento, frias
tu, andarilha perspicaz, seguias
e tua vida suplicava rouca…

Pelas cidades como chuva pouca
eras levada pelas ventanias
sem forças para levantar, sofrias
eras rebelde, mui teimosa e mouca…

Não entendia teu ardil caminho
Nem os motivos pra guardar o ninho
Envolto em dor, flagelos e mistério…

Agora choro sem qualquer resposta
Pois encontramos uma rota oposta:
Eu no hospital e tu no cemitério.