Novo Lar

Gustavo Valério Ferreira

29/05/2018

Esta vil sensação causa-me uma amargura
que me derrete atroz, matando-me de novo…
E no triste sofrer noutras lágrimas chovo
cansado de morrer nesta densa ternura…

Não há fogo a queimar mas este mundo é covo
e as torturas aqui são parte da cultura…
Sensação do que fui é abreviatura
mediante o que sou neste inferno retovo…

E sofro nesta dor, perco até a postura
neste mundo sem cor de cruel tessitura
em que há amargo mel, que amargamente provo…

Mas é meu novo lar, minha nova estrutura
Aqui, quero reinar; serei outra criatura…
Quando se apaga a luz, todo o teu mundo estrovo.