Im[pacto]

Gustavo Valério Ferreira

25/02/2019

O verbo ódio nasceu e causou grande impacto;
à luz escureceu esplendorosas vozes
desfazendo o apogeu das vítimas e algozes
ruindo a solidão num modo mais compacto.

A vítima sem deus pressente-se coacto
ao nascer do não ser das emoções ferozes;
política cruel de milícias velozes
em polícias fiéis ao depravado pacto.

A vendida nação entregue aos albatrozes
espera salvação dos homens mais atrozes
de secos corações - bem mais secos que um cacto.

O verbo ódio floriu em caras simbioses;
O fantasma sorriu gerando apoteoses
e o tempo lhe partiu mas não ficou intacto.