Fusão

Gustavo Valério Ferreira

15/05/2018

Nossas mentes obscuras e maliciosas
abismaram-se enquanto faziam o mal;
Iludidas distorceram o mapa astral
enquanto cantarolavam vitoriosas.

Começaram um amor eterno abismal
por entre as nuvens pálidas e nebulosas
Voavam entre o céu e o inferno orgulhosas
juravam horrores num canto matinal.

Assim viveram estas vidas mentirosas
e cruzando dados em somas escabrosas
ganharam tudo, mas perderam a moral.

Nossas mentes insanas e perniciosas
fundiram-se em metas doudas e desastrosas,
mataram-se num poema descomunal.